quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Presidente THC é absolvido da acusação de trocar voto por 'papel de seda'


A Justiça Eleitoral de Santa Catarina negou pedido de investigação judicial contra o candidato Lucas de Oliveira, do PSDB, que ficou conhecido por defender a maconha em sua propaganda eleitoral no centro de Florianópolis. Conhecido como "Presidente THC", ele era acusado de comprar votos em troca de sedas "personalizadas".

De acordo com o MPE, Lucas teria incentivado o uso da maconha e, "em troca de voto", distribuído brindes personalizados de sua candidatura aos eleitores. Os supostos "presentes" seriam trituradores (equipamento usado para dichavar fumo) e uma caixa de papel de seda (usada para enrolar fumo). A promotoria chegou a pedir, além da investigação, a cassação do registro de candidatura do tucano.

A defesa de Lucas confirmou a existência do material, alegando que ele estava sendo vendido para a arrecadação de fundos para a sua campanha eleitoral. O juiz catarinense entendeu não haver "compra de votos".

"Ainda que o candidato investigado possa ter incidido em outras condutas ilícitas, o conjunto probatório não permite a conclusão estreme de dúvidas de que a oferta das 'sedas' e 'trituradores' mediante a condição específica de obtenção de voto", afirmou em sentença que negou a denúncia do MPE, mas manteve a proibição de sua propaganda.

"Esta vitória representa que a justiça entendeu que esta é uma campanha legítima", disse o candidato THC. "Agora nos tornamos mais fortes ainda para debater temas polêmicos, como a legalização da Maconha".

0 comments:

Postar um comentário

 
 

NÃO COMPRE, PLANTE!

 

Vamos curtir galera!

Esquadrilha da Fumaça

Visitas

 
Real Time Web Analytics