domingo, 13 de novembro de 2011

Relatório mostra a carnificina gerada pela guerra as drogas no México

O fracasso da guerra as drogas se mostra cada vez mais com o gigantesco aumento da violência em países que são muito influenciados pelo narcotráfico, como é o caso do México. A associação denominada “Human Rights Watch” concluiu um relatório que foi apresentado ao presidente Mexicano, Felipe Calderón .

O relatório diz que descobriu 170 casos documentados, com provas credíveis de tortura, incluindo a simulação de afogamento, choques elétricos e asfixia, somando-se a 39 desaparecimentos forçados e 24 casos de execuções extrajudiciais pelas forças de segurança.

O relatório afirma que mesmo que alguns dos suspeitos tenham de fato cometido crimes, o tratamento que foi lhes dado ainda violou as leis internacionais e do México.

Israel Arzate Melendez, morador da cidade de Juarez, foi obrigado sob tortura a confessar um crime a qual ele não cometeu. “ Foram usados sacos plásticos para me asfixiar, tomei socos e chutes, e eles ainda ameaçaram a minha esposa, dizendo que ela seria estuprada” , conta Melendez.

A intervenção das forças armadas mexicanas no combate principalmente à maconha e a cocaína, segundo o relatório, tem contribuindo vertiginosamente com a onda de violência. Até o final do ano passado, estimam-se que 35 mil pessoas tenham sido mortas na guerra as drogas.

0 comments:

Postar um comentário

 
 

NÃO COMPRE, PLANTE!

 

Vamos curtir galera!

Colaboradores

Esquadrilha da Fumaça

Visitas

 
Real Time Web Analytics