segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

Importante estudo liga o uso de psicodélicos com menor reincidência criminal

estudos sobre drogasUm estudo feito com mais de 25.000 pessoas, sob a supervisão da Assistência Social, nos EUA, sugere que o uso de drogas psicodélicas como o LSD pode manter as pessoas fora da prisão.

A pesquisa é a primeira feita em 40 anos para analisar se as drogas como o LSD e os "cogumelos mágicos" podem ajudar criminosos a se não tornarem reincidentes no mundo do crime.

"Nossos resultados fornecem uma notável exceção à relação positiva forte entre o uso de substâncias e o comportamento criminoso", os pesquisadores da Universidade do Alabama em Birmingham e da Escola de Medicina da Universidade Johns Hopkins, escreveram em seu estudo, que foi publicado na edição de janeiro da revista Psycopharmacology.

"Eles acrescentam que dados que indicam efeitos benéficos das intervenções de alucinógenos são contrários à qualificação jurídica, bem como a percepção popular de alucinógenos como substâncias nocivas categoricamente sem potencial terapêutico."

Substâncias psicodélicas têm despertado o interesse de pesquisadores que começam em 1950. Estudos indicaram que os fármacos podem ser combinados com a psicoterapia para tratar uma série de condições, incluindo alcoolismo e dependência de drogas.

Mas investigações científicas sobre o potencial terapêutico do LSD, a psilocibina, a mescalina e outras drogas psicodélicas foram paralisadas nos anos 1970, quando essas substâncias foram proibidas pela Lei Federal de Substâncias Controladas.

"Os infratores podem ser especialmente suscetíveis de se beneficiar do tratamento alucinógeno porque o envolvimento no sistema de justiça criminal muitas vezes resulta em comportamento de busca por drogas e conduta impulsiva exacerbada pelo uso de substâncias compulsivas", explicaram os pesquisadores no estudo.

De 2002 a 2007, os pesquisadores coletaram dados sobre 25.622 indivíduos sob supervisão correções da comunidade na prestação de contas Tratamento para comunidades mais seguras ( TASC ), um programa para pessoas com histórico de abuso de drogas.

Apenas cerca de 1 por cento das pessoas no programa foram diagnosticados com um transtorno por uso de alucinógenos. Transtornos por uso de Cannabis, transtornos por uso de cocaína, e transtornos por uso de álcool foram os diagnósticos mais comuns no grupo.

Os pesquisadores descobriram que aqueles diagnosticados com um transtorno por uso de alucinógenos eram menos propensos a deixar o programa TASC em comparação com aqueles sem um transtorno por uso de alucinógenos. Isso significa que aqueles com um transtorno por uso de alucinógenos eram menos propensos a violar as regras TASC ou outros requisitos legais, menos propensos a deixar de comparecer ao tribunal, e menos propensos a ser presos novamente.

O estudo controlado por um grande número de potenciais fatores de confusão, incluindo raça, emprego, estado civil, idade , antecedentes criminais , história de abuso de drogas, sexo, nível de instrução, e muito mais.

"Os resultados atuais não devem em tudo ser interpretado como advogando para uso recreativo alucinógeno, no entanto, eles demonstram que, em um mundo real, a definição de intervenção relacionada com a substância, uso de alucinógenos está associada a uma menor probabilidade de mau resultado", escreveram os pesquisadores.

"Acreditamos que este apelo para a investigação científica seja continuada desta única classe de substâncias."

O estudo é de autoria de Peter S. Hendricks, Brendan C. Clark , Matthew W. Johnson, Kevin R. Fontaine, e Karen L. Cropsey
.

0 comments:

Postar um comentário

 
 

NÃO COMPRE, PLANTE!

 

Vamos curtir galera!

Esquadrilha da Fumaça

Visitas

 
Real Time Web Analytics