quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

A proibição nunca vai afastar os jovens das drogas


Quando se falar em pesquisas que apontam aumento de consumo de maconha entre os jovens, nada passa de mais uma estratégia de qualquer governo proibicionista ,para renovar e conseguir mais fundos para continuar a chamada guerra às drogas. Contudo, vamos ser um pouco mais realistas nesta situação, pois não é a proibição e nem as normas rígidas que mantem uma pessoa longe de consumir maconha, afinal a taxa de consumidores aumenta e diminui indiferentemente do que se faça para tentar sanar o problema. Ao manter a maconha ilegal, na verdade ao invés de protegerem os jovens de consumir drogas, estão colocando essas mesmas pessoas no ciclo da criminalidade. É o famoso caso, como se diz na gíria brasileira, "um tiro no próprio pé" .

Logicamente que nenhum pai ou mãe devem recomendar que seus filhos se utilizem de nenhum tipo de drogas, porém a primeira iniciativa para uma boa educação deve partir dos pais, que tem que entender que os seus filhos não são perfeitos e estão sujeitos as oscilações temperamentais, emocionais, não só do próprio processo da juventude, mas como também das próprias relações interpessoais que nos sujeitamos na convivência, e que queiram ou não as drogas fazem parte –como muitas outras coisas, como por exemplo, a tecnologia-  desta realidade em que vivemos.


O uso de drogas de maneira alguma pode ser atribuído a apenas a um fato. Quando se trata de liberdade individuais, é muito perigoso que uma visão externa – de outra pessoa- possa traduzir fielmente o que leva uma pessoa a se utilizar de alguma substância entorpecente.

Em se tratando da maconha, infinitamente a erva sagrada é menos prejudicial, não só para a sociedade, mas para aquelas pessoas que se utilizam da planta. Como falado exaustivamente , neste longo período em que se retrata a utilização da Cannabis, seja para fins religiosos, terapêuticos ou recreacionais, nunca alguém conseguiu provar se quer uma morte por utilização de maconha, situação muito contrária por exemplo  no caso de outras drogas, como álcool, tabaco, crack, cocaína, entre outras.

A verdade é que a tática adotada pelos Estados Unidos, no qual o foco era amedrontar as pessoas em relação à utilização da maconha, vem caindo por terra cada vez mais. Atualmente, muito pelo fluxo de informação e pelo imediatismo, além da própria evolução cultural e a relação do usuário de Maconha com a Cannabis, este paradigma vem mudando drasticamente, o que de fato começa a mostrar que as novas gerações querem mudança, muita mudança!

1 comments:

Anônimo disse...

contra o trafico
http://www.facebook.com/#!/groups/222579604481369/

Postar um comentário

 
 

NÃO COMPRE, PLANTE!

 

Vamos curtir galera!

Colaboradores

Esquadrilha da Fumaça

Visitas

 
Real Time Web Analytics