segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Repressão: mais uma válvula de manipulação social

O tempo passa, mas algumas coisas ainda seguem um mesmo paradigma, mesmo quando este está camuflado dentro da modernidade. Se puxarmos pela memória, antigamente, quando o mundo tinha uma ordem bipolar - no qual Estados Unidos e Rússia encabeçavam as extremidades - os países aliados ao Tio Sam pediam ajuda financeira sob a desculpa de conter o avanço dos Russos. Atualmente, segue-se este mesmo roteiro, contudo, o vilão da vez são as drogas e os recursos financeiros são para sustentar a carnificina e a corrupção, sob a desculpa da repressão do tráfico de drogas.

Nos dias de hoje, a chamada guerra às drogas é mais um pretexto para que os governos façam várias intervenções, de acordo com seus interesses obscuros. Internamente, para as comissões de parlamentares e de políticos influentes, a questão tem pouco a ver com as drogas ilícitas, tais como a maconha, cocaína, heroína, ópio, entre tantas outras, mas sim com uma série de fatos alienantes, como distração da população, manipulação, aumento da repressão –que gera mais recursos financeiros- e ataque às liberdades individuais, entre outras barbaridades cometidas contra um cidadão de bem.


A questão da guerra às drogas se tornou uma ferramenta de controle. Demonizam a droga, no intuito de manipular as classes. O retorno quase sempre é monetariamente rentável, pois explora todo o medo em que a sociedade tem do tema drogas. Corriqueiramente você pode observar que normalmente quem demoniza as drogas e marginaliza seus usuários está lucrando com isso, vide igrejas, instituições que se dizem “filantrópicas”, “cultos que encabeçam a utilização de outras drogas”, políticos, entre as mais diversas picaretagens que estão presentes nesta vertente proibicionista.

A verdade, é que não se trata do abuso de substâncias entorpecentes e sim de um comércio lucrativo que é alimentado pela repressão. Para se ter uma ideia, no inicio das chamadas guerra às drogas, as mortes por tabaco foram estimadas em mais de 300 mil ao ano, seguida de 100 mil mortes pelo abuso de álcool. Contudo, os governos perseguiam a maconha, que até hoje não tem nenhuma morte relacionada ao seu uso crônico. Por quê será?

1 comments:

luca disse...

Toda esta farsa, mentiras, abusos de poder, já estão enchendo o saco mesmo. Como se explica o fato de que o uso da maconha nunca tenha matado ou levado alguém a morte e mesmo assim é criminoso, uma porra esta lorota já era, ninguém aguenta mais esta maldição e tudo pelo dinheiro. Temos que lutar contra tudo e contra toda esta caretice, que já esta insuportável, intolerável. Já que é crime, milhares de maconheiros poderiam se entregar enfrente a uma delegacia portando uns baseados, dizendo que estão se entregando porque a anos estão fora da lei todos juntos ao mesmo tempo milhares de pessoas. O que eles fariam. Por certo chamariam a tropa de choque para disperçar e não prenderiam ninguém?, ou fariam uma fila que daria voltas no quarteirão para que fosem todos autuados o que levaria uma semana no mínimo, então o que fazer pois todos são criminosos e devem ficar presos? Me poupe cara, eles iram ver o quanto ridículos eles são, e que a proibição de se fumar maconha é uma grande farsa e que só proibem pelo comércio lucrativo que é no mercado do tráfico que eles próprios é que alimentão com a hipocrisia. Vamos sair dessa vamos plantar em casa. E mandar o tráfico e todos que se lucram dele para a p. q. p.

Postar um comentário

 
 

NÃO COMPRE, PLANTE!

 

Vamos curtir galera!

Colaboradores

Esquadrilha da Fumaça

Visitas

 
Real Time Web Analytics