quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Poderíamos voltar a ser obrigados a cultivar cannabis!

Atualmente falar em Maconha é com toda a certeza gerar polêmica. Há anos, a sociedade vem sendo martelada com uma propaganda proibicionista sensacionalista e errônea, sustentada por uma lei enganosa- que não só apenas cerceiam a liberdade individual do cidadão em fumar maconha - como ignorantemente proíbe todos os derivados da Cannabis Sativa. Principalmente quando se trata de sustentabilidade, proibir a Cannabis industrial chega a ser de muita ignorância, até porque, não estamos falando dos efeitos psicotrópicos da planta, que nesta situação, são inexistentes.

Proibindo a Cannabis Sativa, proíbe-se também um grande mercado, que poderia ser totalmente legal, e uma fonte de geração de empregos, uma vez que estariam diretamente ligadas a este tipo de comércio outros ramos do mercado, como a indústria alimentícia, de cosméticos, de roupas, de biocombustíveis, farmacêutica e mais tantas outras.


A verdade é que em algumas coisas, nós poderíamos pensar em fazer igual ou parecido com que faziam nossos ancestrais. Por incrível que se possa parecer, existiam leis, principalmente nos Estados Unidos, que obrigavam pessoas a plantarem cânhamo, sendo que as mesmas poderiam ser presas por descumprirem a ordem. Nos Estados Unidos, além do cânhamo também ter valor de“moeda” legalmente (dinheiro), na maioria dos estados americanos de 1631 até meados de 1800, poderiam ser usados inclusive para pagar os impostos. Por quê? Para estimular os agricultores a plantar cada vez mais.

Para se ter uma ideia, George Washington e Thomas Jefferson tinham plantações caseiras de Cannabis . Jefferson, chegou a viajar à França, para conseguir sementes de Cannabis com excelência de qualidade.
Na Inglaterra, o mais almejado prêmio de cidadania britânica plena era concedido por um decreto da coroa para que os estrangeiros que plantassem maconha. Caso se recusassem, seriam cobradas multas dos mesmos.

Outro fato curioso, é que no país mais paternalista e repressor do mundo -que sempre achou que tem o direito de dar pitaco nas outras nações –  aprovava o uso da maconha e do haxixe, através de vários extratos entre os anos de 1842 e 1890. Tanto, que estes medicamentos estiveram entre os primeiros mais prescritos pelos médicos da época.

Extratos de cannabis medicinal eram produzidos por Eli Lilly,Parke-Davis, Toldens, Brothers Smith (Smith Brothers), Squibbdentre , entre outros americanos e companhias europeias. Durante todo esse tempo, não há relatos de mortes por extratos de cannabis medicinal e praticamente nenhuma desordem mental por abuso.

0 comments:

Postar um comentário

 
 

NÃO COMPRE, PLANTE!

 

Vamos curtir galera!

Colaboradores

Esquadrilha da Fumaça

Visitas

 
Real Time Web Analytics