sábado, 28 de janeiro de 2012

Portugal: a experiência bem sucedida de descriminalização das drogas


Portugal deu um importante passo em 2001, quando resolveu descriminalizar a posse de drogas ilícitas. Com isso, aqueles usuários que forem pegos com drogas, não mais seriam presos, mas sim encaminhados para o que chamam de “comissões para discussões da toxicodependência”, que tem a autonomia para impor advertências, multas e sanções administrativas ao usuário. Contudo, na maioria dos casos, esta comissão apenas suspende o processo, o que quer dizer que nenhum castigo será aplicado ao usuário.

Desde que adotou esta política mais liberal, o caminho tem sido seguido por perto por especialistas e estudiosos, que afirmam categoricamente que a descriminalização das drogas, principalmente a da maconha está funcionando. O fato é que as ações não são simplesmente em descriminalizar as drogas, mas sim um acompanhamento educativo e de redução de danos, que faz com que se consiga efetivamente tratar o usuário.

Embora note-se que o consumo de drogas teve um ligeiro aumento, os benefícios pela diminuição da violência, da propagação de doenças e tudo aquilo que está ligado diretamente ao fato da droga ser proibida, foram muitos e satisfatórios. Contrariando qualquer previsão, a descriminalização das drogas em Portugal não fez com que tivesse um aumento vertiginoso de usuários.

A experiência que a cada ano Portugal vem aprimorando, está servindo atualmente como um norte para países que pensam adotar uma política menos sangrenta em relação às drogas. A descriminalização em Portugal mostrou a redução de danos acontece em níveis satisfatórios não só para a maconha, mas para todas as drogas.

A descriminalização, entre outros benefícios, permitiu que os usuários deixassem de ser perseguidos pela polícia, o que fez com que eles percebessem que não são criminosos, fato que ajuda para que os mesmos se sintam mais à vontade na hora de buscar ajuda, sem ter que enfrentar todo este estigma de bandido, passado pela sociedade. Atualmente, a polícia não concentra seus esforços em prender usuários, mas sim pequenos e grandes traficantes de drogas.

3 comments:

Anônimo disse...

infelismente nao concordo com isso a policia em portugal continua a tratar os usuarios como criminosos e ainda nos tentam persuadir a divulgar traficantes,vamos lutar pela legalizaçao

Desarraçado disse...

Pois é Anónimo das 12:04,Andam a dizer umas coisas estranhas... Continua a ser uma das principais abordagens policiais a jovens, a investigação de drogas e revista corporal, mesmo aos pequenos burgueses que não têm nada com drogas. E se encontram alguma coisa parecida, por pouco que seja, armam um escândalo na vida das pessoas, como se tivessem esse direito divino.
Alguma coisa mudou em 10 anos, mas dai a chamarem bem sucedida a experiência, a ponto de ser Norte para alguma coisa...
Legalizada está ela, agora queremos a Cannabis (maconha e cânhamo)- fora a lista negra.

Desarraçado disse...

Qualquer um é suspeito de traficante, até o consumidor de fim-de-semana e o de férias. Continua a ser grande noticia de jornal encontrarem 10 ou 20 gramas, são levados pelos bufos a uma planta no quintal as velhas! Prendem velhas por regarem uma planta ancestral. Fazem processos a quem tem uns restos no fundo o bolso, com 0,09g ou 1,20g de kiff marroquino, mínimo de thc, já vai à comissão a ter de se explicar.

Postar um comentário

 
 

NÃO COMPRE, PLANTE!

 

Vamos curtir galera!

Colaboradores

Esquadrilha da Fumaça

Visitas

 
Real Time Web Analytics