quarta-feira, 14 de março de 2012

Paciente de maconha medicinal é expulsa do hospital da Universidade de São Francisco


Eu sinceramente nunca esperaria que um paciente de maconha medicinal fosse achincalhado dentro de um hospital de uma Universidade localizado na Califórnia, justamente pelo o estado ser pioneiro no que diz respeito à legalização da maconha medicinal. Contudo, foi justamente isso que aconteceu com a ativista pró-maconha Angela Raich.

Raich é portadora de um tumor no cérebro, que vem se agravando cada vez mais e causando à paciente fortes convulsões. Porém, nesta semana, a ativista teve uma grande surpresa quando estava vaporizando a sua erva. Incomodado, um farmacêutico do hospital da Universidade de São Francisco impediu a paciente de consumir Cannabis, alegando que ali ela não poderia fazer uso de maconha e a paciente chegou a ser transferida para outro hospital.

O caso ganhou grande repercussão nos EUA. Diante da situação, ficamos atônitos em perceber o quão as pessoas são tão preconceituosas, quando o assunto é a maconha. Agora, estamos falando de pessoas que consomem a erva no intuito de melhorar a sua qualidade de vida. O problema de Angela Raich não tem cura, e como ela própria diz, espera manter-se ocupada a todo momento, esperando a sua hora chegar.

Segundo o médico de Raich, a mulher precisa se utilizar da maconha 2 vezes ao dia, pois desta forma as convulsões diminuem. Em nota, a UFSC disse que o hospital é um campus livre de fumo e isso inclui a maconha medicinal. Contudo, não foi assim que trataram Angela Raich, ativista e portadora de uma doença grave, que como qualquer ser humano, precisaria ser melhor tratada, principalmente nestas condições.

2 comments:

Anônimo disse...

Uma puta sacanagem! TNC Doutor!

Paulo Toledo disse...

Pode crer manu, falou algo interessante, o preconceito com a maconha... Hoje, nos tempos modernos, tudo é liberado, lembro de quando eu estudava e a gente não poderia nem segurar na mão da menina na escola. Hoje meninas beijam meninas, meninos beijam meninos, todos se beijam. Não tenho nada contra graças a Deus que os tempos mudaram, antigamente a sociedade iria crucificar por essas coisas, não tenho preconceito algum, pra mim tudo bem, cada um que cuide de sua vida que eu vou cuidar da minha. Mas se os tempos evoluíram tanto, porque um cara que trabalha, sustenta casa, rala pakas só por fumar um baseado é taxado de maconheiro, marginal, vagabundo etc...
Engoliram tanta coisa, reelegeram o Maluf brother kkkk por que tanta merda é aceita e uma simples planta natural não é?

Postar um comentário

 
 

NÃO COMPRE, PLANTE!

 

Vamos curtir galera!

Colaboradores

Esquadrilha da Fumaça

Visitas

 
Real Time Web Analytics