terça-feira, 31 de julho de 2012

Entrevista: Wilson Aquino, autor do livro Verão da Lata


Uma das grandes seções do blog Maconha da Lata são as entrevistas com personalidades do ramo ou que falam sobre o nosso principal assunto: a cannabis. No bate-papo de hoje, tivemos uma boa conversa com o escritor Wilson Aquino, autor do livro Verão da Lata, que desmistifica um dos episódios das famosas latas contendo Maconha, que foram jogadas no mar, pelos tripulantes do Solana Star. O fato que se espalhou pelo boca-boca ganhou uma grande dimensão e até hoje as famosas latas são faladas em tom de saudosismo pelos amantes da cannabis. Não deixe de ler a nossa entrevista!

Por que você resolveu escrever um livro sobre o Verão da Lata?

A intenção era registrar o momento histórico, isso porque em conversa com pessoas mais jovens percebi que muitas delas não acreditavam que o Verão da Lata tivesse existido de verdade. Pensavam que era folclore, lenda urbana. E como normalmente a gente só registra história política e econômica, surgiu a idéia de contar uma história que parte da sociedade viveu intensamente.E a gente aproveita para desmistificar essa história de que o Verão da Lata era apenas uma lenda

Quais as regiões costeiras que mais encontraram as famosas latas?

A maior parte das latas foi encontrada no litoral do Rio de Janeiro e de São Paulo. Mas elas apareceram em toda Costa entre o Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul. Das 15 mil latas jogadas no mar, as autoridades apreenderam cerca de 3 mil. Ou seja: 20%.

É de seu conhecimento alguém que ainda guarde esta lata de recordação?

Encontrei um arquiteto que tinha guardado uma lata de recordação (vazia, claro) . Mas como foi uma experiência coletiva, que envolveu muita gente é bem possível que existam mais por aí.

Qual foi a repercussão na época das latas contendo maconha jogadas ao mar?

Foi uma loucura. Muita gente não acreditava que estava aparecendo lata recheada de maconha nas praias. Mas logo que as pessoas perceberam que não era boato, passaram a se organizar. Alguns grupos chegaram a alugar lanchas para pegar lata em alto mar, já que em terra havia uma repressão grande por parte da Polícia. A Federal ficava de plantão nos portos, cais e marinas, revistando as embarcações que chegavam à procura a lata.


Qual foi o paradeiro do navio Solana Star?

Depois de apreendido pela polícia, o navio foi leiloado. O Solana foi o primeiro bem apreendido com o tráfico que foi à leilão. O objetivo era arrecadar dinheiro para investir em campanhas educativas e no treinamento de policiais no combate às drogas. Mas a grana ficou num conta não remunerada do Banco do Brasil durante cinco anos e perdeu o valor, em função das trocas de moeda, que eram muito comuns no século passado. Mas o Solana acabou sendo adquirido por um empresa de reboque marítimo, que transformou o navio em atuneiro (barco para pesca de atum). Entretanto, o serviço foi mal feito e na primeira viagem, em 1994, o Solana Star (que havia mudado o nome para Tunamar) naufragou no litoral do Rio de Janeiro, aproximadamente perto do local onde sete anos desovara as latas de maconha. Dos 31 tripulantes, 11 morreram. O Solana agora repousa a 60 metros de profundidade, nas água de Arraia do Cabo.

Quais as expectativas para o lançamento do livro “Verão da Lata”?

A gente lança no dia 31 de julho, às 19 horas, na Livraria Travessa de Ipanema. Estamos negociando uma edição em castelhano (uma editora argentina demonstrou interesse em publicar na América Latina), já fomos convidados a participar da Feira do Livro de Porto Alegre, que acontece em novembro. Enfim, a repercussão tem sido muito positiva e a gente espera que a massa compareça np lançamento para fazer história.

Apesar das várias histórias sobre o verão da lata, ainda existe possibilidade de existir alguma lata contendo maconha?

Não creio. Lá se vão 25 anos. Mas é possível que alguém tenha plantado alguma semente no território nacional. Mas o esperto que fez isso, está na dele, claro.

Qual a sua opinião sobre a atual política de combate as drogas no Brasil?

Vejo um avanço bem significativo no tratamento dispensado pela Justiça ao cara que gosta de fumar. A sociedade está muito mais tolerante com a maconha se comparado com 25 anos atrás. No entanto, não vejo uma iniciativa mais clara para uma descriminalização total, que é o sonho de todo maconheiro. Acho que antes de mais nada é preciso uma estrutura muito bem montada para a questão da venda. Não faz sentido, no caso de descriminalizar, que os fumantes tenham que recorrer à bocas-de-fumo em áreas violentas para adquirir o produto. Tem que ter um esquema muito bem feito para afastar o crime da erva. Até mesmo porque não combinam, como ficou provado no Verão da Lata.

11 comments:

Maires disse...

Onde compro o livro?

Boldinho_D2 disse...

livrarias

Anônimo disse...

vale lembrar que o lancamento do livro Verão da Lata eh hoje mesmo!

Anônimo disse...

eu fumei dessa!!!!!

Zila disse...

Aki na minha cidade( são francisco do sul, sc) tinha tanta maconha da lata que durante dois anos praticamente ninguem comprou maconha! Nunca vi tanta gurizada chapada! Uma pena o autor do livro não ter ido mais a fundo na sua pesquisa.Não é uma crítica, apenas uma vontade de fazer parte dessa história documentada! Que verão!

Anônimo disse...

Tem uma lata de recordação do restaurante Larica's em Trindade situada na cidade de Paraty - RJ, muitas dessas latas foram encontradas em Trindade.

Weber Corazza disse...

eu vivi esse verão... kkkk... muita fumaça em caraguatatuba-sp...

Rójer disse...

Boa erva! suave, cheirosa e que te botava pra dormir,
Ela vinha em "ramas", não era prensada.... tinha ramas
que chegavam a pesar 50Gr... Dizem que veio da Indonésia.
Tipo meia amarelinha esverdeada... Tinham duas qualidades qua apelidamos de "mike tyson" e a "maguila"
Uma delicia! Eu devia ter uns 17 pra 18 anos e morava em Iguape, cidade que fica ao lado da Ilha Comprida, litoral Sul de SP, onde foram encontradas muuuuitas latas, principalmente na maré seca.
Saudades Mil!!!

Phellipe Ferreira disse...

que história magnifica! voces não fazem noção de como eu gostaria de ter tido contato com essas LATAS! E a primeira vez em que eu ouvi falar sobre essa história não foi por meio de internet nem tv etc.. Foi pelo boca a boca msm pq como eu sou de Santos né, um dos locais que foram abençoados pelas LATAS!muitos amantes da cannabis ainda lembram e comentam o fato até hoje 2012! É uma pena eu não ter vivenciado isso afinal sou nascido em 1993 e nessa altura do campeonato o conteudo das LATAS ja tinham virado fumaça e feito a cabeça de muitos felizardos! Mais ta ai! Ficou pra historia esse fato. E só de comentar já me deu uma vontade de torrar 1! xD

Phellipe Ferreira disse...

Mas a lata esta aberta né! Mas msm assim é um tesouro! Queria ver uma fechadinha e poder fumar 1 iria ser massa

Anônimo disse...

...te garanto que era boa. "conheci" da verdinha, da amarelinha, da marronzinha..." bons tempos!

Postar um comentário

 
 

NÃO COMPRE, PLANTE!

 

Vamos curtir galera!

Colaboradores

Esquadrilha da Fumaça

Visitas

 
Real Time Web Analytics