sábado, 1 de outubro de 2011

Conheça o processo da Maconha Medicinal nos EUA

Aqui no Blog Maconha da Lata, várias vezes falamos sobre a Maconha Medicinal. De fato, a Cannabis tem muito a nos dar quando falamos de tratamento de algumas doenças, como a esclerose múltipla, ferimento da medula espinhal, quimioterapia, radioterapia, dores crônicas, Sindrome de Tourette, entre outras.

Seguindo esta linha de raciocínio, vamos mostrar para vocês algumas etapas que tem de ser cumpridas, para que o paciente tenha acesso à Maconha Medicinal, vendida legalmente em 16 Estados Norte-Americano.

1. CONSULTA MÉDICA

É preciso obter uma recomendação de uso medicinal de maconha assinada por um médico que atue na Califórnia. Isso serve para residentes no estado que tenham sintomas como dores, náusea, perda de peso e insônia - o que vale para condições desde TPM até câncer.

2. CADASTRO

Com a recomendação e uma carteira estadual de usuário, o paciente se cadastra na clínica de maconha. Antes de aprovar o pedido, ela precisa investigar a situação legal do médico. Cadastrado, o usuário pode comprar a maconha na loja ou pedir por telefone.

3. COMPRA

Além da grande variedade para fumar e cultivar, vendem-se óleos, concentrados e cristais da erva. A seleção de comestíveis também é grande: mel, chás, biscoitos, bolos, chocolate, balas e pirulitos, tudo aditivado.

4. PRODUÇÃO

A maconha precisa ser cultivada na Califórnia, por cooperativas de pacientes. Em tese, as clínicas compram o excedente plantado pelos usuários. Mas a comercialização de espécies e sementes originárias de outros países indica que muita coisa tem origem ilegal.

5. CONSUMO

A erva medicinal pode ser fumada em qualquer lugar onde o cigarro comum for permitido - exceto em veículos. Também é proibido fumar num raio de 300 metros de escolas e centros juvenis. Já algumas clínicas têm jardins internos próprios para o consumo.

6. IMPOSTOS

Como na maioria das transações comerciais, a maconha está sujeita ao imposto estadual sobre a venda, no valor de 8,25%. Condados e municípios podem aplicar outras taxas. As clínicas também pagam por licenças de funcionamento, como qualquer empresa.

QUANTO PODE

Cada paciente pode ter até 230 gramas já prontos para o consumo e 6 pés ou 12 mudas da planta. Mas o médico pode recomendar quantidades maiores.

Legal desde 1996

Clínicas de maconha surgiram na Califórnia para suprir um mercado que, segundo a ong Califórnia Norml, tem hoje mais de 350 mil pessoas e gira US$ 1 bilhão. Boa parte são centros de medicina alternativa, com cursos e sessões de ioga e massagem. Mas o grande atrativo está em suas farmácias.

2 comments:

JONATHA MARLEY disse...

MOOS EU ACHOO Q EU VOU PROS ESTADOS UNIDOOS LÁH OS ALMA CEBOSA NAUM EMBAÇA HEHEHEHE

marcin disse...

apoiadissimo essa ideia pooq nao fumar maconha legalizada assim em nosso pais o governo nao assume a ignorancia e o preconceito contra a cannabis é foda mesmo sendo q temos o cigarro q é uma droga legalizada muito muito pior q a maconha

Postar um comentário

 
 

NÃO COMPRE, PLANTE!

 

Vamos curtir galera!

Colaboradores

Esquadrilha da Fumaça

Visitas

 
Real Time Web Analytics